sexta-feira, julho 29, 2005

A todos os pais

Um poema lindo que encontrei por aí. Deveriam entregar a todos os pais na saída da maternidade, com recomendações de que ele seja relido pelo menos uma vez por semana, até a criança fazer 18 anos.

Vossos Filhos

Gibran Kalil Gibran

Vossos filhos não são vossos filhos.
São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.
Vêm através de vós, mas não de vós.
E embora vivam convosco, não vos pertencem.

Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos.
Porque eles têm seus próprios pensamentos.
Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho. Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós,
Porque a vida não anda para trás e não se demora com os dias passados.

Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas.
O Arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda a Sua força para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
Que vosso encurvamento na mão do Arqueiro seja vossa alegria:
Pois assim como Ele ama a flecha que voa, ama também o arco que permanece estável.

5 Comments:

Anonymous Nanci said...

Olá, Alessandra.

Gostei do poema, é bem a verdade. Vou levar para a minha mãe ler. ;-)

Boa sexta a você.

2:02 PM  
Blogger Gabriel said...

Não apenas até os 18 anos.
Um beijo

2:03 PM  
Blogger Denise Arcoverde said...

Eu amo esse poema! postei há mais de um ano, é algo pra gente sempre pensar.

Querida, você precisa mandar seu endereço pra eu mandar a lembrancinha da Letônia :)

Mande pra denisemcarcoverde@yahoo.com.br

Beijocas!

12:41 AM  
Anonymous Kika Del Piero said...

Alessandra...
Obrigada por sua visita... mas essa minha amiga não deixou de ser o que era... pelo contrário... nhj ela é ela mesmo... só que muita gente a rotula de outra maneira... inclusive o dono do post que ela leu...
Besos!!

7:34 PM  
Blogger aline said...

Muito bom este espaço aqui...o meu anda meio parado, porque refletia o estado de espírito da dona, mas agora espero retomá-lo. Obrigada pelo texto de Gibran, andava atrás dele há um tempo. E vou colocá-lo no meu espaço pra reinaugurá-lo em grande estilo...
Um super abraço!

10:16 AM  

Postar um comentário

<< Home