quarta-feira, setembro 26, 2007

Minha versão da Tiffany ou Brass'n Books

Hoje eu acordei meio desanimada. Quando chegou mais ou menos na hora do almoço, alguns problemas chatinhos no trabalho, a preocupação com coisas importantes a fazer, algumas culpas martelando na cabeça e um email que não teve resposta me fizeram chegar numa tristeza aflitiva, perturbadora, quando você meio que sente medo mas não sabe bem do que, entende? Eu estava com the mean reds. Um sentimento bem desagradável, pergunte a Holly Golightly.
Em Breakfast at Tiffany's, sempre que Holly ficava com essa sensação, ela ia à Tiffany para espairecer e olhar os diamantes até ficar melhor. Para mim não ia funcionar, eu nunca tive assim tanto fascínio por jóias. Então tive uma idéia ótima. Aproveitei meu horário de almoço e fui a um shopping que fica perto. Depois de comer meio sem vontade, entrei em uma livraria.
Escolhi bem, uma livraria nova, tão bonita que tive vontade de me mudar para lá. Havia pouca gente, uma musica ambiente tocando bem baixinho, tudo claro, tranquilo e a melhor parte, um monte de livros. A própria imagem da civilização. Fui andando devagar, lendo as lombadas, vendo o preço de alguns livros que eu quero, cobiçando umas edições lindas que estavam expostas.
Comecei a me sentir melhor, mais ainda quando começou a tocar uma música deliciosa, que eu nunca tinha ouvido, com um jeito meio funk, meio salsa, uns metais ótimos. Só não cheguei a ficar feliz porque tinha que ir embora logo. Se pudesse, teria passado a tarde lá, revirado tudo, comprado alguns livros e depois ter sentado lá mesmo para tomar um café e ficar folheando minhas compras.
Saí de lá mais leve, mas algo me diz que não vai durar muito. Todas as chatices ainda estavam aqui me esperando quando eu voltei. Acho que aproveitaram minha saída e se reproduziram, sem a menor vergonha, bem em cima do meu teclado. Uma pena que eu não posso matá-las e voltar para a livraria.

7 Comments:

Blogger Ulisses Adirt said...

O dia acabou... agora pode. :-)

6:06 PM  
Blogger Biajoni said...

passada?
isso é coisa que se diga?
fala o que achou, mulher.
:>)

10:15 AM  
Anonymous Inagaki said...

Meu reino por um anticoncepcional que faça com que as pendências parem de se multiplicar... :P

12:44 AM  
Blogger João said...

Depois de longo tempo, coloco a leitura em dia neste não blog. Muito legal. O legal é que para mim também funciona desta forma, com livros e com cds também.

Beijos

5:56 PM  
Blogger r. silva said...

Bom, nesses dias, v. tb tem a opção de levar um livro para o banheiro. Há as técnicas (li num livro q não me lembro agora): 1. Dê um jeito de deitar sobre a privada sem tocar o chão. 2. Leve na bolsa sapatos de outra cor, e coloque-os no chão, sugerindo ser outra pessoa, caso olhem sob a porta.

7:07 PM  
Anonymous alessnadra I de Souza said...

Hum...olá, mto estranho mas...coloquei meu nome no google para ver se achava o meu blog ( sim tenho grave sproblemas d ememória e esqueci o meu blog) e tb fiquei curiosa em saber que apareceria, apareceu seu não-blog, mto divertido ^^ apesar de eu não ter acahado meu blog, a pesquisa não foi perdida. ^^

10:33 PM  
Blogger Mariana said...

O teu blog está cada vez melhor. :)

6:06 PM  

Postar um comentário

<< Home