quarta-feira, julho 05, 2006

Bonsai



Bonsai, como quase todo mundo sabe, são árvores que são cultivadas em bandejas ou potes para se manterem sempre pequenas. Elas podem viver muitos anos se bem cuidadas e quanto mais velhas, mais valiosas. Aliás, no caso do bonsai, não é suficiente que ele seja velho: tem que parecer velho. Quanto mais centenário o seu aspecto, quanto mais cheio de nós, de rachaduras, de raízes grossas acima da superfície e galhos vergados pelo próprio peso, mais bonito e precioso o bonsai será.

Decidi que vou tentar usar essa mesma filosofia a respeito do meu próprio corpo, conforme eu envelhecer. Ao invés de pensar a coisa toda como uma decadência, vou pensar como um aperfeiçoamento. De fato vou perder mobilidade, vigor, agilidade, entre outras coisas que hoje são naturais para mim. Mas a arvorezinha também perde a flexibilidade, fica mais rígida, menos adaptável.

Vou tratar de curtir cada ruga que aparecer, cada mudança de forma e de cor que eu notar. Vou me enxergar como uma obra do tempo. O tempo estará indiferente aos meus planos ou desejos, isso por um lado é cruel. Mas ele em troca vai esculpir meu corpo para torná-lo cada vez mais complexo, mais cheio de detalhes e entalhes, vai me obrigar a reduzir meus movimentos excessivos e desgastantes ao mínimo, vai tornar meu ritmo mais lento e meus sentidos mais suaves. Assim, cada movimento meu será cuidadoso e mínimo, como a dança mais sutil e mais perfeita, ao mesmo tempo que as rugas na minha pele desenharão uma renda finíssima sobre os contornos agora muito suaves e delicados do meu corpo envelhecido. Pretendo envelhecer me vendo assim, como escultura do tempo, não vítima dele.

9 Comments:

Blogger Denise Arcoverde said...

Lindo post, Alessandra! e muito petinente, que tod@s aprendamos com os bonsai :-)

2:19 PM  
Blogger MARCIA said...

Ah... sei lá... meu pai, aque adora plantas, detesta bonsai. Diz que é a maior crueldade com a arvorezinha. Uma vez ele disse para mim, imagina só você, querendo crescer, subir e aí vem alguém e te amarra, te corta, te poda... Olha, acho q temos que aprender a envelhecer sim, e a aceitar os limites do tempo. Mas nem por isso a gente deve se render à ele... e tb se podar e se "amarrar" para esperar chegar o fim. Não sou neurótica... alias, adoro uma junk food e dormir à tarde é comigo mesma. Mas tento me cuidar... quero me tornar uma velhinha simpática e feliz... não toda retorcida pelo tempo...

6:48 PM  
Blogger Alessandra said...

Marcia, a gente também não gosta de muitas coisas que acontecem com a gente, mas fazemos como os bonsais: ou nos adaptamos, ou murchamos. Temos tanto controle sobre o tempo quanto a arvorezinha tem sobre o jardineiro. Eu falo mais sobre a atitude frente ao envelhecimento do que sobre o envelhecimento em si, já que retardá-lo ou impedi-lo é uma ilusão. Nós só podemos tentar nos fazer mais fortes para ir mais longe.

7:15 PM  
Blogger Gabriel said...

Não serás uma mulher de plástico! Então tá então. Belo post!

2:03 PM  
Anonymous Raquel de Carvalho said...

É uma atitude sábia aceitar o envelhecimento, que, se implica perdas por um lado, por outro, traz ganhos significativos. Eu, pessoalmente, odeio essa coisa ocidental (e brasileira principalmente!) de desvalorizar a maturidade em favor da juventude, como se só houvesse pontos positivos numa fase e na outra não. De qualquer modo, devemos nos preparar para sermos velhos felizes: produtivos, saudáveis e dentro do possível, bonitos, por que não?

11:02 PM  
Blogger João said...

Sua comparação é muito interessante e bem ponderada. O fato da pequena árvore tentar crescer e ser podada pelo jardineiro, também revela o que nos acontece durante a vida em sociedade. Mesmo assim, a pequena planta sobrevive. Gostei da imagem do texto.

11:51 AM  
Blogger maria. said...

concordo. espero envelhecer assim tb.

3:41 AM  
Anonymous Anônimo said...

Very nice site!
» »

4:47 PM  
Blogger Badá Rock said...

É mas demora.
Eu queria ser capaz disso, mas ao primeiro sinal de ruga, eu sinto vontade de passar o rosto a ferro.
Porque eu me sinto como se tivesse 15 anos (dizem que o primeiro sinal de senilidade é achar que é jovem).

4:44 PM  

Postar um comentário

<< Home